Todos os artigos de carlasofiaamado

22 de junho de 2016, Universidade de Heidelberg / Alemanha Colóquio VI: Aspectos da Lusofonia Macau e a língua portuguesa na China

No dia 22 de junho de 2016 será realizado pela sexta vez na Universidade de Heidelberg na Alemanha, Instituto de Tradução e Interpretação, o Colóquio anual Aspectos da Lusofonia com o título Macau e a língua portuguesa na China.
O Colóquio
Aspectos da Lusofonia, que teve lugar pela primeira vez em 2011, é organizado pelo Departamento Luso-Brasileiro do Instituto de Tradução e Interpretação sob a égide do Instituto Camões e está aberto a todas as pessoas interessadas na Lusofonia (com interpretação simultânea Português < > Alemão). A participação é gratuita.
Para mais informações, ver programa aqui e aqui.

Anúncios

A “semana forte” do Português na Universidade de Colónia – 19 a 23 de junho!

A “semana forte” do Português na Universidade de Colónia:

DOM. 19/6 (15h-18h) Oficina de narração oral com Elisa Almeida na
Studiobühne da Universidade (inscrição obrigatória);

2ª 20/6 (16h-18h) Narração oral de textos de Guimarães Rosa, sala
Hörsaal E da Universidade;

4a 22/6 (a partir das 19h) Abertura da exposição “O potencial
económico da língua portuguesa / Warum Portugiesisch” com música e
petiscos, entrada do Dekanat da Faculdade. A exposição ficará aberta
de 2a a 6a entre as 9h e as 16h;

5a 23/6 (9h-17h): Colóquio East West, Japão – Portugal – Brasil,
Colóquio interdisciplinar e internacional, local: Klosterstraße 79 b,
Gremienraum 222a, 1.OG.

A entrada para todas as atividades é livre. Informações adicionais e
contactos aqui, aqui e aqui.

Authentizität und Identität. Tradition und Wandel im kreolischen Batuku Kap Verdes

productFlyer_978-3-658-13802-8-page-001

Foi publicado o livro de Elisa Tavares: “Authentizität und Identität. Tradition und Wandel im kreolischen Batuku Kap Verdes” baseado na sua tese de doutoramento de 2015.

Trata-se de um estudo em língua alemã dedicado ao Batuku — uma manifestação cultural cabo-verdiana secular — e às alterações ao nível da língua, do conteúdo ou da estrutura formal e cénica que esta tradição sofreu nas últimas décadas. Estas e outras alterações são analisadas no contexto da globalização e da construção identitária para analisar o papel e o valor do Batuku praticado atualmente no arquipélago crioulo e na diáspora.