Todos os artigos de silviapfeifer

Coordenadora do Ensino Português na Alemanha

Manifesto celebra oito séculos de língua portuguesa

Nomes da lusofonia juntam-se num manifesto que visa celebrar a língua portuguesa, que faz 800 anos a 27 de junho. Entre os subscritores contam-se entidades políticas, escritores e artistas.

Ler mais aqui!

Anúncios

Colóquio: 50 anos da emigração portuguesa para a Alemanha (FLUP – Porto)

Vai realizar-se, no próximo dia 29 de maio, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, o colóquio “50 anos da emigração portuguesa para a Alemanha: do Acordo de Recrutamento de 1964 até aos dias de hoje“. A organização conta com o apoio do Goethe Institut, do DAAD, da Friedrich Ebert Stiftung e da DEG.

“Por ocasião do aniversário dos 50 anos da assinatura do acordo de recrutamento entre Portugal e a Alemanha, e devido à actualidade do tema, o Departamento de Estudos Germanísticos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, o DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico), o Instituto-Goethe e a Fundação Friedrich Ebert organizam, no dia 29 de Maio de 2014, um colóquio interdisciplinar para debater o tema da migração portuguesa para Alemanha desde 1964 até aos dias de de hoje a partir das perspetivas das ciências sociais e humanas. O colóquio terá intervenções de investigadores e representantes das áreas da cultura, política e economia, portugueses e alemães. Convidamos antigos emigrantes da República Federal de Alemanha que darão testemunho das suas experiências.”

(Página do Colóquio)

Congresso comemorativo dos 50 anos da Imigração Portuguesa na Alemanha: “O Passado que se faz Futuro”

logo-50AnosCelebram-se, em 2014, os 50 anos do protocolo bilateral assinado entre a Alemanha e Portugal, que permitiu a entrada de “gastarbeiter” portugueses em território alemão. Para assinalar a efeméride, a Embaixada de Portugal em Berlim, em estreita colaboração com o Consulado-Geral de Portugal em Hamburgo, organiza o congresso “O Passado que se faz Futuro”, a ter lugar no próximo dia 6 de junho (por ocasião simultânea das celebrações oficiais do Dia de Portugal) no Museu Etnográfico de Hamburgo.

São objetivos do congresso “O Passado que se faz Futuro”:

  • celebrar os 50 anos do acordo bilateral Portugal-Alemanha alusivo ao acolhimento de “Gastarbeiter” de Portugal neste país;
  • promover uma reflexão interdisciplinar acerca dos desafios que se colocam à imigração portuguesa para a Alemanha, através da presença de personalidades políticas e académicas portuguesas e alemãs de renome;
  • valorizar o diálogo interdisciplinar, intergeracional, intercultural e plurilingue nas discussões em torno das Comunidades Portuguesas na Alemanha;
  • promover a educação política e cidadã das Comunidades Portuguesas na Alemanha, através de um melhor conhecimento da sua história e dos contextos passados, presentes e futuros em que vive;
  • estimular a visibilidade da Comunidade Portuguesa na Alemanha, promovendo o diálogo Portugal-Alemanha, nomeadamente através de cobertura mediática.

O congresso decorrerá nos espaços do Museu Etnográfico de Hamburgo, espaço desde há muito conhecido das Comunidades Portuguesas naquela cidade, nomeadamente pelo trabalho colaborativo e continuado com membros das Comunidades Portuguesas.

O evento articula-se em dois momentos:

  • 1º momento: manhã (com discursos oficiais de representantes do Governo Português e Alemão e com intervenções de destacadas figuras públicas portuguesas);
  • 2º momento: tarde (com intervenções de académicos renomados em Portugal e na Alemanha e com uma mesa-redonda de encerramento destinada a dar voz direta a membros da Comunidade Portuguesa residente na Alemanha).

A comissão organizadora é constituída por Manuel Silva, Luísa Coelho e Sílvia Melo-Pfeifer. Um evento da Embaixada de Portugal em Berlim, em cooperação com a Landeszentrale für politische Bildung de Hamburg e o Museu Etnológico de Hamburgo, com o apoio do Camões, IP e da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

Brevemente será publicado, também neste espaço, o programa do congresso.

Álvaro Siza Vieira: Ausstellung “Von der Linie zum Raum”

  • Flyer Alvaro siza_screenÁlvaro Siza:
  • Von der Linie zum Raum
  • From Line to Space
  • Orange Lab, Ernst-Reuter-Platz 2, 10587 Berlin-Charlottenburg
  • 6 Dez 2013 – 31 Jan 2014, Mo-Sa, 11–17 Uhr.

Die erste monographische Ausstellung des portugiesischen Architekten Álvaro Siza Vieira in Berlin ist ab dem 6 Dezember 2013 im Orange Lab, einem zentralen und experimentfreudigen Ort zwischen der Universität der Künste und der Technischen Universität Berlin, zu sehen.

Siza, mit allen Architekturpreisen der Welt bedacht, gibt in dieser Ausstellung an Hand der Auswahl neuester Bauten und Projekte einen detaillierten Einblick in seine gestalterische Vorstellungskraft.

Man verfolgt dabei seine tastende und suchende Arbeitsweise. Durch die feinen gezeichneten Linien seiner Skizzen nähert man sich seinem Raumverständnis an. Die Arbeitsmodelle geben diese Suche in plastischer Form wieder. Ausgewählte Photographien und ergänzende Pläne vervollständigen diese einmalige Präsentation.

Sizas Bauten zeichnen sich durch ihre skulptural ansprechende Formen aus. Darin erkennt man Verbindungen mit der großen Tradition der stark plastisch geprägten, modernen Architektur von Alvar Aalto über Adolf Loos bis zu Frank Lloyd Wright. Durch ihre Baumaterialien gewinnen Sizas Bauten ihre Atmosphäre. Mit ihnen bettet Siza seine Bauten so intelligent in lokale als auch moderne Bautraditionen wie kaum ein anderer ein: sein Pavillon in Hombroich bezieht sich eindeutig auf die weitverbreitete Ziegelarchitektur des Niederrheins, aber auch auf die beiden Ziegelsteinhäuser von Mies van der Rohe in Krefeld.

Es entstehen eindeutige als auch subtile Bezüge zu Orten, zu kulturellen und architektonischen Kontexten. Weitläufige, manchmal auch epische Raumatmosphären bestimmen Sizas Architektur. Nutzer und Besucher seiner Bauten finden sich nicht nur maßstäblich wieder, das Gefühl der angemessenen Behandlung durch ein Bauwerk von Siza wird oft durch großformatige Marmortafeln, weiten, weiß gestrichenen Wänden mit manchmal erstaunlich gestalteten Räumen erzeugt.

Ein Katalog mit Aufsätzen beider Ausstellungskuratoren, Rudolf Finsterwalder und Wilfried Wang ist in der Ausstellung erhältlich. Besonderer Dank geht an Álvaro Siza, sein Büro und sein Archiv.

Wir danken den folgenden für ihre großzügige Unterstützung:

  • Botschaft von Portugal – Berlin
  • Visit Portugal – Lissabon
  • Camões-Instituto da Cooperação e da Língua – Lissabon
  • Vitra – Weil am Rhein
  • Wienerberger – Hannover/Wien
  • FSB – Brakel
  • Universität der Künste – Berlin
  • Förderverein Insel Hombroich – Hombroich
  • Stiftung Insel Hombroich – Hombroich
© Wilfried Wang/Rudolf Finsterwalder   8 Okt 13/10 Nov 13/14Nov13
Notícia retirada de: Cultur@lmente.

Potencial dos Estudos Luso-Alemães no Contexto Europeu discute-se em Leipzig (9-11 de novembro de 2013)

Vai debater-se, entre os próximos dias 9 e 11 de novembro, o potencial dos estudos Luso-Alemães no Contexto Europeu. Esta iniciativa do Instituto de Romanística da Universidade de Leipzig, apoiada pelo DAAD, contará com a presença de investigadores Portugueses e Alemães, radicados na Alemanha ou em Portugal. Sob o mote “Do Minho, passando por Trás-os-Montes à Saxónia – construindo uma ponte cultural entre periferias”, os investigadores e os estudantes de graduação ou de pós-graduação em Estudos Portugueses irão debater aspetos culturais, identitários, linguísticos, educativos e políticos subjacentes a questões relacionadas com o conceito de “periferia”.

Diálogo de periferias. Leipzig 2013De acordo com a página Internet do evento, o workshop abordará questões como:

  • Como se (re)fazem, como se (re)constróem, como se (re)negoceiam  conceitos de identidade nacional própria e alheia, portuguesa ou alemã respetivamente, em tempos de mudanças e de crises económicas e culturais a nível global ?
  • Qual é – nesse processo – o papel da Europa como elemento unificador de identificação?
  • Qual é  o papel das regiões e do passado político como mitos para a construção de “sentido“?
  • Como se reflete essa construção de identidades no discurso literário?
  • Quais são as consequências socio-culturais (migração, escolha de estudos profissionais e universitários, ensino de línguas) e sócio-linguísticas (contato de línguas) produzidas pelo desenvolvimento europeu na última década?

Refira-se que esta iniciativa é coordenada e organizada por C. Döll e por Ch. Hundt, do Instituto de Romanística da Universidade de Leipzig. A participação é livre e o programa poderá ser consultado em http://identidades2013.jimdo.com/programa-programm/. O evento contará com a presença do Sr. Embaixador de Portugal na Alemanha, Luís de Almeida Sampaio, que proferirá uma alocução acerca da temática no dia 10 de dezembro, pelas 18h00.

Homenageado José Saramago em mais um dos “Jantares do Tiergarten”

Decorreu, no passado dia 22 de novembro, mais uma edição dos “Jantares do Tiergarten”, no Hotel Pestana, em Berlim. A homenagem literária coube, desta feita, a José Saramago (1922-2010), Nobel da Literatura, em 1998. O mote em torno do qual foi discutida a sua obra – “Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara“ – deu aso a muitas indagações: o que nos mostrou e mostra Saramago? Quais são as suas inquietações sociais e metafísicas? Como é que esta vasta obra nos continua a interrogar?

jose-saramagoNuma apresentação viva e colorida de detalhes acerca da vida e obra de José Saramago, Luísa Coelho, atual leitora do Camões-Instituto da Cooperação e da Língua, fez esquecer o cheiro tentador do magnífico buffet preparado para os convivas. E falar de José Saramago não implica só o homem: implica a evocação aprofundada de uma época que viveu, nacional e internacionalmente, vários períodos conturbados, desde a Segunda Grande Guerra até à revolução de 25 de abril. Implica ainda falar de História da Literatura e dos diferentes movimentos literários que se sucederam e conviveram em Portugal, sobretudo do Neorrealismo e do Existencialismo. Implica falar de momentos-chave da vida intelectual portuguesa do Século XX (fundação da revista Vértice, por exemplo). E na cascata discursiva, todos os elementos foram incluídos e explicitados.

Entre saladas, bacalhau com natas, coelho à caçador e demais iguarias, houve espaço para leituras de poemas escolhidos, de excertos de “A Viagem do Elefante” e de crónicas de José Saramago, em alemão e em português. As vivas leituras, a cargo da tradutora de Saramago Niki Graça e do tradutor-intérprete Fernando Almeida,  na pesença de Marianne Gareis – outra tradutora de algumas obras do autor na Alemanha, poderão ter deixado arrefecer um prato ou outro, mas aqueceram o ambiente de convívio literário que se impunha.

Antes de um “até breve” e depois da visualização de uma curta-metragem de animação baseada num conto para crianças de José Saramago (“A Flor Maior do Mundo”, disponível no You Tube em http://www.youtube.com/watch?v=TGgC7C2wI-g ), o Embaixador de Portugal em Berlim, Luís de Almeida Sampaio, teve a oportunidade de evocar Saramago, nomeadamente a relação deste com os partidos políticos e a forma como a sua obra literária acaba por ser, paradoxalmente, apartidária.

Recorde-se que os “Jantares do Tiergarten” são uma iniciativa de Luísa Coelho, com o apoio do Camões e da Embaixada de Portugal em Berlim. Em edições anteriores, de entre os homenageados, estiveram já Eça de Queirós e Fernando Pessoa. O próximo encontro literário-gastronómico, prometeu já Luísa Coelho, será alusivo ao Fado, contará com uma exposição sobre este tema e música ao vivo. Motivos suficientes para fazer “crescer água na boca”!

Sílvia Melo-Pfeifer

Onde se esconde o sol durante o mês de dezembro?

Esta deve ser a pergunta que muitos berlinenses e alemães de toda a parte se colocam durante os meses cinzentos de inverno. Com o título “Wo ist die Sonne im Dezember?”, a revista mobil (edição de dezembro do corrente ano), da Deutsche Bahn esclarece que o sol está… em Portugal! Particularmente nas fantásticas praias e paisagens algarvias:

“An der Algarve, im wumderbaren Süden Portugals! Ein Landstrich mit packenden Kontrasten und zupackenden Menshen. Erst recht im Winter.” (página 37).

Wo ist die SonneClique aqui para ler a matéria completa.